Thiago de Aragao

Archive for outubro \31\UTC 2007|Monthly archive page

Uruguai: Embaixador uruguaio e governadora do RS discutem integração

In Uruguai on outubro 31, 2007 at 7:13 pm

O embaixador uruguaio no Brasil, Pedro Humberto Vaz Ramela, e a governadora do RS (Rio Grande do Sul), Yeda Crusius, conversaram nesta semana sobre os desafios ao fortalecimento da integração entre RS e Uruguai, a importância da logística para isso e a busca de soluções a problemas comuns. As informações foram divulgadas pela agência Safras e fornecidas pela assessoria de comunicação do governo do RS.

A governadora afirmou que os investimentos que vêm sendo feitos nos setores naval, de florestamento e de fruticultura, do lado gaúcho, tendem a fazer uma revolução na região de fronteira, o que aumenta os interesses de aproximação entre o Estado e o Uruguai.

O reflorestamento é considerado como um dos aspectos relevantes para a definição de políticas comuns mencionados por Yeda. A liberação de atividades do setor em terras localizadas na faixa de divisa do Brasil com o Uruguai e a Argentina, já foi, inclusive, pleiteada pelo governo do Estado ao governo federal. A governadora, por sua vez, entregou pessoalemente ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, um ofício com o objetivo de reforçar a solicitação, na ocasião da Interiorização do Governo do Estado em Alegrete, dia 28 de setembro.

No entendimento de Crusius, existem impedimentos que podem ser resolvidos para que as regiões de fronteira se desenvolvam a partir do reflorestamento.

Já o embaixador uruguaio, que esteve acompanhado na visita à governadora do cônsul-geral do Uruguai em Porto Alegre, Ernesto Scheiner Correa, enfatizou que o seu país tem o Rio Grande do Sul como importante parceiro comercial.

Na avaliação de Ramela, “a infra-estrutura e a logística são fundamentais para se desenvolver o intercâmbio. No caso do Uruguai, também estamos investindo, tanto por parte do governo como do setor privado, em portos, rodovias e ferrovias. Isso vai trazer mais oportunidades comerciais não só ao Uruguai, mas a toda a região”.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Entrevista: Deputado Dr. Rosinha (PT-PR)

In Entrevista on outubro 31, 2007 at 7:02 pm

dr-rosinha.jpg

Na semana em que a CREDN (Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional) da Câmara dos Deputados aprovou a Mensagem 82/07, do Poder Executivo, que ratifica o protocolo de adesão da Venezuela ao Mercosul, a Arko América Latina conversou, em entrevista exclusiva, com o deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR), relator da matéria.

Rosinha é titular da CREDN (Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional) e da CPCM (Comissão Parlamentar Conjunta do Mercosul, conhecida também por Representação brasileira no Parlamento do Mercosul). Também é o vice-presidente brasileiro no Parlamento do Mercosul.

ARKO AMÉRICA LATINA: Deputado, após os últimos acontecimentos envolvendo o presidente Hugo Chávez (Venezuela) e o Congresso brasileiro, o ingresso da Venezuela como membro-pleno do Mercosul está inviabilizado? Por quê?

DR. ROSINHA: Não. As declarações do presidente venezuelano geraram muitos debates e criaram alguns atritos e dificuldades de tramitação da Mensagem de adesão da Venezuela ao Mercosul. Creio que boa parte das resistências foi debelada com o debate democrático.

AAL: No mês passado, tivemos a notícia de que índios yanomamis em Roraima, na fronteira do Brasil com a Venezuela, presenciaram a invasão do espaço aéreo brasileiro por helicópteros militares venezuelanos. De acordo com a imprensa venezuelana, o assunto será levado para a Comissão de Relações Exteriores. No seu entendimento, quais as conseqüências desse acontecimento para as relações Brasil-Venezuela?

DR: Toda e qualquer invasão de espaço (aéreo, marítimo e territorial) de um país gera atritos diplomáticos. Acredito que estes atritos serão resolvidos sem maiores conseqüências.

AAL: Deputado, vários países da América Latina têm optado por assinar TLCs (Tratados de Livre Comércio) com os EUA. Na sua avaliação, o Brasil deveria assinar um tratado de livre comércio com os norte-americanos?

DR: Não. Entendo que Tratados de Livre Comércio como os impostos pelos EUA são nocivos aos países de menor economia.

AAL: Muitos analistas afirmam que a postura do presidente Lula de sempre buscar consensos ao invés de tomar posições diretas e ativas facilitou a ascensão de Chávez no continente latino-americano. Na sua avaliação, essa premissa é verdadeira?

DR: A diplomacia brasileira tem uma história de eficiência e de construção de consensos. Tem também usado de um método, no qual a tolerância é importante, de muito diálogo. Entendo que a diplomacia da Venezuela, no governo Chávez, é mais agressiva no sentido político. Esse método dá a impressão de grande ascensão do presidente venezuelano, o que não significa liderança.

AAL: Qual a sua avaliação sobre a política externa do Governo Lula?

DR: Muito já se escreveu sobre a política externa do governo Lula. Entendo que é uma política que tem trazido liderança do Brasil nas negociações internacionais. É uma política eficiente de inserção do Brasil no cenário mundial.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Venezuela: Empresários russos e venezuelanos fecham acordos econômicos

In Venezuela on outubro 31, 2007 at 7:00 pm

Durante as reuniões inter-governamentais Rússia-Venezuela, os empresários dos dois países assinaram acordos de investimentos na área econômica. Os valores desses investimentos ficarão em torno de US$ 5 bilhões. De acordo com o vice-presidente da Venezuela, Jorge Rodríguez, 80 investidores russos participaram do encontro.

Os acordos firmados pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com países de fora da América Latina – inimigos dos EUA (Irã) ou neutros em relação a eles (Rússia) – mostram que os objetivos geo-estratégicos dele não ficam restritos ao continente latino-americano.

Diante desse cenário, George W. Bush (presidente dos EUA) pretende acelerar a aprovação dos TLCs (Tratados de Livre Comércio) com Peru, Colômbia e Panamá, com o objetivo de fortalecer os vínculos comerciais e, conseqüentemente, políticos com esses aliados.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Bolívia: Governo diz que empresas americanas poderão investir no país

In Bolívia on outubro 31, 2007 at 6:56 pm

O ministro dos Hidrocarbonetos da Bolívia, Carlos Villegas, informou que diversas empresas petroleiras norte-americanas manifestaram interesse em investir no setor de hidrocarbonetos do país.

De acordo com ele, nas próximas semanas os representantes dessas empresas deverão aprofundar os contatos com o governo boliviano. Villegas esteve em Miami e Washington entre os dias 15 e 19 de outubro, onde pôde conversar com os representantes dessas companhias e explicar-lhes o processo de nacionalização do setor decretado pelo presidente da Bolívia, Evo Morales.

“Conversamos com várias empresas como a Shell, Exxon para que conheçam as condições do país e possam investir na Bolívia”, afirmou o ministro. Ele também disse que diversas empresas do setor estavam desinformadas da verdadeira situação no país, por não contarem com dados concretos sobre o que realmente ocorreu (referindo-se a nacionalização decretada por Morales).
No seu entendimento, os EUA têm uma visão negativa do país, pois sua interpretação é que o governo expropriou as empresas petrolíferas.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Colômbia: Uribe descarta terceiro mandato

In Colômbia on outubro 31, 2007 at 6:20 pm

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, assegurou que não será candidato a um terceiro mandato consecutivo em 2010. Essa foi a primeira declaração oficial do colombiano desde que sua coalizão começou a propor um referendo para alterar a Constituição e buscar o terceiro mandato consecutivo. De acordo com Uribe, não é positivo que um presidente busque perpetuar-se no poder.

Os dois pilares centrais do governo colombiano, segundo ele, são a segurança democrática e a confiança do investidor com a política de Estado.

Os partidários de Uribe propõem mais um mandato do atual presidente, pois a política de segurança implementada no país é um sucesso, o que faz seus índices de popularidade serem bastante elevados.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Sugestão de leitura

In Sugestão de Leitura on outubro 30, 2007 at 4:17 pm

Nunca é demais sugerir livros para leitura. O livro “Regresso do Idiota Latino-Americano” é sensacional e explica com clareza a característica de certos revolucionários sem conteúdo na América Latina.

A infantilidade dos que ainda não acreditam na queda do muro de Berlin, é analisada com maestria por Alvaro Vargas Llosa,

DIRETO DE BRASÍLIA: Senador adverte sobre ação de Chávez no Brasil

In Brasil, Venezuela on outubro 30, 2007 at 12:07 pm

O senador brasileiro Gerson Camata (PMDB-ES) advertiu ao Plenário, na quarta-feira (24), sobre a suposta intenção do governo de Hugo Chávez, presidente da Venezuela, de implantar células de uma revolução marxista no Brasil, de acordo com reportagem veiculada pelo “Correio Braziliense” no mesmo dia. 15 diplomatas venezuelanos, segundo o jornal, já estariam atuando em vários municípios brasileiros para instalar centros de apoio à causa, como o Círculo Bolivariano Che Guevara, no Rio de Janeiro.

Camata alertou que se tratava de uma infiltração ideológica do governo Chávez no país, cujo projeto político seria transformar o Estado numa “democracia socialista”.

A reportagem informava ainda que o trabalho no Brasil estaria sendo coordenado pelo venezuelano Maximiliano Arvelaiz, apontado como homem de confiança do presidente Chávez. O jornal denunciou também a participação nessa ação do Consulado Geral da Venezuela, tendo como líder o embaixador Mario Guglielmelli Vera.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Bolívia: Governo e oposição debatem mudança de sede da Constituinte

In Bolívia on outubro 29, 2007 at 7:20 pm

O governo boliviano discute com a oposição a mudança de sede da Assembléia Constituinte para outra cidade, como conseqüência da recusa por parte de líderes de Sucre em permitir a retomada das sessões.

De acordo com a agência Efe, fontes oficiais informaram que essa possibilidade está sendo analisada pelo conselho político formado pelo governo e oposição para evitar o fracasso da assembléia que elegerá a nova Carta Magna do país.

Há dois meses, os trabalhos foram suspensos devido a conflitos. Isso ocorreu porque os habitantes do departamento de Sucre pretendem que os constituintes levem as sedes dos poderes Executivo e Legislativo para essa localidade.

A mudança de sede, segundo a imprensa local, entrou em discussão nessa semana em função do litígio de Sucre com La Paz, fato que obstruiu a continuidade dos trabalhos.

O prazo para a entrega do novo texto constitucional é dia 14 de dezembro. Entretanto, até o presente momento, nenhum artigo da nova constituição foi redigido. Caso não haja entendimento e a Constituinte fracasse, será uma derrota de grandes proporções para o presidente Evo Morales (Bolívia), já que a elaboração da nova Constituição era uma de suas principais bandeiras de campanha.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Venezuela: Jornalistas reagem contra governo

In Venezuela on outubro 29, 2007 at 7:19 pm

O presidente do Conselho Nacional dos Jornalistas, Levy Benshimon, afirmou que a modificação do artigo 337, aprovada pela Assembléia Nacional, significa “uma eliminação do direito à informação, o que viola o direito do povo de estar devidamente informado”. Na sua avaliação, a Assembléia colocou o cidadão em um estado de total indefinição informativa por meio de uma decisão partidarizada.

“Os cidadãos e os profissionais de imprensa rechaçam a eliminação desse direito fundamental que promoverá a censura prévia dos meios de comunicação social”, ressaltou Benshimon.

Com essa decisão, aumentará o controle do Estado sobre os meios de comunicação, o que já era grande desde o fechamento da RCTV (Rádio Caracas de Televisão). A estratégia do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, é sufocar todos os meios onde possam surgir vozes de oposição ao bolivarianismo.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Chile: Crescimento econômico deverá ser de 5,4%

In Chile on outubro 29, 2007 at 7:18 pm

O economista chefe da BBVA Chile, Miguel Cardoso, afirmou que a economia chilena deverá crescer 5,4% nesse ano. No seu entendimento, isso é conseqüência do ritmo moderado de crescimento experimentado pelo país nos últimos meses.

Cardoso informou que, no mês de setembro, a atividade econômica local cresceu apenas 2,7%. O crescimento econômico no terceiro trimestre de 2007, chegará a 3,7% enquanto que para 2008 a projeção é de 5,3%, segundo ele.

No que diz respeito ao cenário futuro, o economista acredita haver muitas incertezas relacionadas à queda nas expectativas do crescimento dos EUA, e à força dos países emergentes. Para Cardoso, no mês de outubro o Chile deveria ter apresentado uma recuperação em seus índices em razão do crescimento do setor de mineração. No entanto, a produção industrial caiu 2,6%, lembrou.

Assinalou ainda que as importações de bens de capital aumentarão os investimentos em mais de 10%, o que torna as perspectivas para o ano que vem muito animadoras.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)