Thiago de Aragao

Archive for agosto \26\UTC 2008|Monthly archive page

ENTREVISTA: Dr. Rosinha, Presidente do Parlamento do Mercosul fala sobre Referendo Revogatorio na Bolivia – Parte II

In Bolívia, Brasil, Entrevista, Mercosul on agosto 26, 2008 at 8:03 pm

AAL 3: Na Colômbia, os aliados do presidente Álvaro Uribe conseguiram as assinaturas necessárias para convocar o referendo que lhe possibilite concorrer ao terceiro mandato. Caso seja aprovado, outros países poderão optar por essa via?Dr. Rosinha: Recordo que por ocasião do plebiscito na Venezuela para a aprovação de uma emenda constitucional, que entre outras coisas, propunha reeleições indefinidas naquele país, partidos de direita das Américas e a maior parte da imprensa, inclusive brasileira, faziam discursos, artigos e editoriais contra essa iniciativa.

Álvaro Uribe prega a alteração da Constituição visando à reeleição pela segunda vez (três mandatos consecutivos) e os mesmos setores que anteriormente criticavam Chávez agora estão mudos. Antes era um escândalo, agora é tudo dentro da legalidade. Esse comportamento é parcial e vergonhoso.

Sim, acredito que outros países da América do Sul poderão optar por esse caminho, mas são países de menor influência e importância política no cenário sul-americano. Caso seja um presidente de centro-esquerda que faça esse caminho, como se comportará os partidos de direita e seus porta-vozes (imprensa)?

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Anúncios

ENTREVISTA: Dr. Rosinha, Presidente do Parlamento do Mercosul fala do Referendo Revogatorio na Bolivia

In Bolívia, Brasil, Entrevista, Mercosul on agosto 26, 2008 at 8:01 pm

Em entrevista exclusiva à Arko América Latina, o atual presidente do Parlasul (Parlamento do Mercosul), deputado Dr. Rosinha (PT-PR), tratou dos desdobramentos da situação política “pós-referendo revogatório” na Bolívia, bem como do referendo que possibilita o presidente Álvaro Uribe concorrer ao terceiro mandato na Colômbia.Arko América Latina: Após o referendo revogatório na Bolívia, o Senhor acredita que o ambiente de radicalização política permanecerá ou há clima para governo e oposição chegarem ao consenso?

Dr. Rosinha: No dia 12 de agosto, dois dias após o referendo, o presidente Evo Morales chamou todos os Prefeitos (assim são chamados os governadores dos Departamentos) da oposição para uma reunião em La Paz, onde buscaria a construção de um consenso mínimo. Não só os convidou, mas também colocou à disposição avião para buscá-los. Todos se negaram a comparecer, ou seja, desejam aprofundar a crise.

AAL 2: A derrota dos governadores de Cochabamba, La Paz e Oruro cria uma nova correlação de forças no país?

Dr. Rosinha: Não só a derrota destes prefeitos, mas o próprio resultado do referendo dá uma nova correlação de forças, em favor de Evo, na Bolívia, pois a vitória do presidente é incontestável.

Segundo a Corte Nacional Eleitoral, com 99,99% dos votos apurados, Evo obteve 67,41% dos votos válidos, o que confirma o seu mandato, pois em 2005 ele foi eleito com 53,74%. Evo Morales e seu vice-presidente, Álvaro García Linera, aumentaram em 13,71 o percentual de aceitação em relação à eleição de 2005. Esse percentual aumentou, inclusive, na chamada região da “meia lua”, onde os prefeitos, reforçados pela imprensa parcial e mentirosa, da Bolívia, fazem uma oposição fascista apoiada pelos Estados Unidos.

Em Santa Cruz, nas eleições de 2005, Evo fez 207.785 votos (33,17% dos votos válidos), agora fez 273.525 (40,71%). Em Beni, fez 16,49% em 2005 e agora 43,72%. Pando não foi diferente, em 2005 fez 20,8%, agora fez 52,5%. A vitória também foi registrada em Tarija, quando em 2005 fez 31,52%, agora fez 49,83%.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

PARAGUAI: Orçamento 2009 chega amanhã ao Congresso

In Paraguai on agosto 26, 2008 at 7:59 pm

Em meio à polêmica sobre a inclusão dos gastos sociais da central hidroelétrica de Itaipu, o governo do Paraguai enviará amanhã ao Congresso o orçamento para 2009.De acordo com a agência Reuters, os gastos sociais constituem uma verba especial que a usina destina a projetos para as comunidades afetadas por sua construção.

Um dos comprometimentos do presidente Fernando Lugo é com a abertura das contas da empresa a organismos de controle. Durante a campanha eleitoral, ele vem prometendo uma profunda mudança nas estruturas do Estado, atingido por casos de corrupção.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

BOLÍVIA: Oposição inicia greve e governo fala em tentativa de golpe

In Bolívia on agosto 20, 2008 at 5:11 pm

Os departamentos de Santa Cruz, Tarija, Beni, Pando e Chuquisaca anunciaram ontem o início de uma greve cívica contra o governo Evo Morales. De acordo com a BBC Brasil, a medida eleva a tensão política no país. Com o objetivo de evitar a ocupação de órgãos públicos, foi deslocado reforço policial para essas regiões.Os adversários de Morales exigem que o governo desista de cortar o repasse da receita obtida com a exploração dos hidrocarbonetos para destinar aos aposentados. É a chamada “renda dignidade”.

A greve iniciada nos departamentos governados pela oposição inclui o controle e bloqueio de estradas. Para o ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, a paralisação tem como objetivo preparar golpes violentos. Ele comparou o movimento ao golpe do general Hugo Benzer de 19 de agosto de 1971.

“Devo manifestar nossa profunda preocupação pela estranha coincidência de se decretar uma greve cívica que contém cinismo, violência e provocação na mesma data em que na Bolívia se completam exatos 37 anos do início do golpe militar mais violento da história do país”, afirmou.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

PERU: Rejeição a Alan García atinge 75%

In Peru on agosto 20, 2008 at 5:10 pm

A desaprovação ao presidente do Peru, Alan García, atingiu 75%, segundo pesquisa publicada ontem pelo jornal El Comercio. O estudo foi realizado pela empresa de consultoria Ipsos Apoyo y Mercado. Em relação a agosto, a popularidade do chefe de Estado peruano apresentou uma queda de 4%.Quanto à sucessão presidencial, 20% responderam que votariam no atual prefeito de Lima, Luis Castañeda. A deputada Keiko Fujimori e o nacionalista Ollanta Humala estão empatados em segundo lugar com 18%. De acordo com a agência Efe, o diretor da Ipsos, Alfredo Torres, disse que chamou atenção o avanço nas intenções de voto da filha do ex-presidente Alberto Fujimori num momento em que seu julgamento se aproxima do final.

Fujimori governou o Peru de 1990 a 2000. Seu governo foi marcado, de um lado, pela violação de direitos humanos e, de outro, pela estabilização econômica do país que registrava elevados índices inflacionários.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

PARAGUAI: Empresários demonstram confiança no governo Lugo

In Paraguai on agosto 20, 2008 at 5:08 pm

6,7% dos empresários paraguaios avaliam que a gestão do presidente Fernando Lugo será boa, segundo pesquisa publicada pelo jornal Última Hora. A sondagem foi realizada pela empresa de consultoria Gabinete de Estudios de Opinión.19,1% avaliam que a gestão será regular, 12,1% muito boa e 3,5% ruim. 8,6% dos empresários não sabem ou não quiseram responder às questões.

De acordo com a agência Efe, 63,1% acreditam que as indústrias terão uma melhora, 17,7% dizem que melhorarão muito, 16,3% acreditam que continuarão iguais e 2,9% não souberam responder.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

PERU: Planejamento 2009 terá combate à inflação como foco

In Peru on agosto 20, 2008 at 5:06 pm

O Planejamento do Setor Público para 2009 estará dirigido para o combate à inflação com o objetivo de ajudar o BCR (Banco Central de Reserva), afirmou o ministro da Economia e Finanças, Luis Valdivieso.Segundo ele, o ano que vem será difícil para o Peru e o restante do mundo devido à desaceleração dos principais sócios comerciais. Apesar disso, Valdivieso disse que o país deseja manter as elevadas taxas de crescimento econômico, manter a capacidade de investimentos e eliminar a pobreza.

De acordo com o ministro, o planejamento não deve contribuir para criar mais inflação ou reduzir o crescimento da demanda agregada.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

ARGENTINA: Federação Agrária mantém contatos com ex-presidente

In Argentina on agosto 20, 2008 at 5:05 pm

O presidente da Federação Agrária, Eduardo Buzzi, afirmou que está trabalhando com o “Movimento Produtivo Argentino (MPA)”, facção do partido Peronista liderado pelo ex-presidente da Argentina, Eduardo Duhalde.Ao ser questionado se teve encontro com o ex-chefe de Estado argentino, ele disse que foi uma reunião “formal e institucional”.

O MPA é um agrupamento dissidente liderado por Duhalde com objetivo de recuperar a iniciativa política.

Desde sua criação, já houve reuniões com dirigentes empresariais, sindicais, sociais e vários políticos. Na avaliação de Buzzi, “falta um bloco agrário com diversas ocupações eleitorais”.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

MERCOSUL: Parlasul aprova criação do Observatório da Democracia

In Mercosul on agosto 20, 2008 at 5:04 pm

O Parlasul (Parlamento do Mercosul) aprovou ontem, por unanimidade, uma proposta apresentada pela deputada argentina Beatriz Rojkes e pelo senador Aloizio Mercadante (PT-SP) que cria o Observatório da Democracia do órgão, integrado por parlamentares de todos os Estados Partes do bloco. No mesmo texto, o Parlamento aprovou declaração sobre os referendos revogatórios na Bolívia e decidiu visitar o país como primeira iniciativa do Observatório diante das notícias de que o resultado das urnas não seria respeitado, “o que poderia agravar o atualmente instável cenário político-institucional da Bolívia”. As informações foram divulgadas pela agência Senado.Mercadante disse, ao defender a declaração, que o Parlasul deve contribuir para que não haja um aprofundamento da tensão política na Bolívia. Lembrou que está prevista para hoje greve geral (em cinco departamentos de oposição ao presidente Evo Morales) e disse que os parlamentares do Mercosul devem dialogar com os governantes dos departamentos, com Evo Morales e com o presidente do Congresso Nacional para manifestar o entendimento da instituição de que o único caminho possível é o diálogo entre as forças políticas bolivianas.

O Parlamento do Mercosul declara, no texto aprovado, “sua mais sincera admiração pelo povo-irmão da Bolívia, que, de forma madura e responsável, manifestou-se pacificamente nas urnas nos recentes referendos revogatórios”. Declara também seu apoio “incondicional” à democracia boliviana, a suas instituições e a quaisquer processos que tenham por objetivo estabelecer diálogos produtivos entre oposição e governo bolivianos. O Parlasul declara ainda “seu pleno reconhecimento dos legítimos resultados dos referendos revogatórios, seu veemente repúdio a tentativas, venham de onde vierem, de radicalizar o processo político boliviano e ameaçar a integridade territorial da Bolívia”. O órgão faz um apelo a todas as forças políticas bolivianas e aos meios de comunicação de massa daquele país para que se conduzam, “neste momento crucial da história da Bolívia, com a mesma maturidade e responsabilidade demonstradas pelo grande povo boliviano”.

Ao final, a instituição declara sua esperança de que a Bolívia se torne, em breve, membro pleno do Mercosul. Hoje, a Bolívia é Estado Associado ao Mercosul. Os Estados Partes são Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. A Venezuela está em processo de adesão ao bloco. O senador Pedro Simon (PMDB-RS) destacou, durante os debates, que o Parlamento do Mercosul será um elemento muito importante na luta pela democracia, pela justiça e pelos direitos humanos.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

VENEZUELA: Governo expropria mexicana Cemex

In México, Venezuela on agosto 20, 2008 at 5:02 pm

Após fracassarem as negociações, o governo da Venezuela expropriou na noite passada a filial da indústria de cimento mexicana Cemex. A operação contou com a ajuda do exército.O anúncio foi feito pelo ministro da Energia, Rafael Ramírez, que relatou as enormes diferenças existentes entre as partes.

De acordo com a imprensa local, o ministro chegou à fábrica acompanhado de simpatizantes do presidente Hugo Chávez.

As outras duas fábricas de cimento, a Lafarge (França) e a Holcim (Suíça) chegaram a um acordo com o chefe de Estado venezuelano e venderam as ações de suas filiais no país.

Ramírez disse que o impasse com os mexicanos ocorreu porque as partes não chegaram a um valor sobre os ativos da companhia.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)