Thiago de Aragao

Archive for fevereiro \29\UTC 2008|Monthly archive page

ESPECIAL PARAGUAI (1): Pesquisa indica vantagem para Lugo

In Paraguai on fevereiro 29, 2008 at 12:02 pm

A pesquisa realizada pela empresa COIN (Consummer Inteligente S.A.) indicou que, se for confirmada a baixa participação do eleitorado na disputa presidencial (pouco mais de 60%) como em 2003, Fernando Lugo (candidato da Aliança Patriótica para a Mudança) é o favorito para vencer a eleição de 20 de abril.No entanto, a pesquisa também aponta que governo pode chegar a um empate técnico com a oposição se ocorrer uma baixa participação (em torno de 50%). Assim, quanto maior for a participação, maiores as chances da oposição.

Considerando uma participação superior a 60%, os números foram os seguintes: Fernando Lugo (37,9%), Lino Oviedo (29,7%), Blanca Ovelar (26,9%), Pedro Fadul (2,4%) e (3,1%) votariam em branco.

Na última eleição, em 2003, o comparecimento às urnas foi de 64,29%. Nesse ano, Nicanor Duarte Frutos venceu a disputa com 37,14% dos votos válidos.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

EUA querem aumento do fornecimento e produção de petróleo

In América Latina, EUA on fevereiro 29, 2008 at 12:01 pm

Com o objetivo de baixar os altos custos de energia, a Casa Branca, por meio de seu porta-voz Dana Perino, pediu que os países produtores de petróleo aumentem seu fornecimento e a produção doméstica. Com isso, os EUA pretendem que seja encontrada uma solução de curto prazo para o problema.Em declarações à imprensa, Perino também manifestou seu desejo de que a produção nos EUA seja incrementada, sem deixar de preservar o meio-ambiente.

Entre os fornecedores de petróleo encontram-se países que os norte-americanos possuem péssimas relações (Venezuela e Irã, por exemplo) e, por isso, os EUA querem incentivar o aumento da produção doméstica como forma de reduzir a dependência em relação a essas nações.

Por outro lado, os norte-americanos demonstram preocupação com a questão ambiental como forma de ganhar simpatia junto à comunidade internacional.

Desde a recusa do país em assinar o protocolo de Kyoto e a invasão do Iraque em contrariedade com a ONU (Organização das Nações Unidas), os EUA vêm perdendo credibilidade internacional.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

VENEZUELA: País compra mais armas do que o necessário, avaliam EUA

In EUA, Venezuela on fevereiro 29, 2008 at 11:53 am

A Venezuela está comprando quatro vezes mais armas do que necessita sua defesa nacional. A avaliação foi feita pelos dois chefes mais importantes da inteligência norte-americana, Michel McDonnell e Michael Maples. No entendimento deles, o objetivo disso é desestabilizar os países amigos dos EUA, como por exemplo, a Colômbia. A constatação foi apresentada durante audiência no Comitê dos Serviços Armados do Senado.O diretor da Inteligência Nacional, Michael McDonnell, disse que a Venezuela busca submarinos e mísseis anti-aéreos. Essas aquisições, somadas à compra de armas russas, superariam os US$ 3 bilhões.

O diretor da Agência de Inteligência para a Defesa, Michael Maples, disse que têm ocorrido discussões sobre o tipo de uso que a Venezuela faria dos armamentos entre nações sul-americanas.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CUBA: “Mais do Mesmo”

In Cuba on fevereiro 28, 2008 at 11:27 am

A saída de Fidel Castro do posto de “Comandante Chefe” do governo cubano não representa a mudança que muitos esperam. Sua saída voluntária do governo demonstra que a política dos EUA de pressionar Cuba por 50 anos não funcionou. Fidel resolveu sair porque sua condição física não suportava mais e não por pressão de Washington.A entrada de Raúl Castro representa o continuísmo. Informações diretas da ilha garantem que Raul é menos flexível do que seu irmão, menos carismático e não terá medo de adotar fortes medidas para diminuir a onda de “oba-oba” que se instalou na mídia internacional desde que Fidel anunciou seu afastamento.

Simbolicamente, a saída de Fidel do posto político mais alto do país é um grande feito. Sendo uma das figuras do século XX, Fidel é o único personagem ativo de um mundo polarizado e tenso. Sua imagem, hoje, vale mais do que suas mensagens e sua capacidade de convencimento. Em um mundo onde as idéias socialistas do passado são consideradas utópicas e às vezes até ridículas (principalmente tendo Hugo Chávez como principal porta-voz do socialismo pré-89), Fidel era a lembrança de um mundo que não prosperou, que não soube perder.

Cuba se manterá como está durante algum tempo. Raúl Castro é apenas cinco anos mais novo do que Fidel e com uma saúde longe do ideal. Seu legado não resistirá muito tempo. Por mais que a ilha continue dentro do “mais do mesmo”, Raúl Castro representa uma substituição aos 43 minutos do segundo tempo, de um jogo perdido há 19 anos.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

MERCOSUL: Lula quer apoio do bloco para Cuba não voltar a ser um cassino

In Brasil, Cuba, Mercosul on fevereiro 28, 2008 at 11:25 am

Os investimentos para exploração de gás natural na Bolívia só vão surtir efeito daqui a quatro anos, em 2012. A afirmação foi feita pelo presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista concedida a um programa de TV argentino, segundo a BBC Brasil. “A Bolívia tem muito gás, mas esse gás precisa ser explorado. E para ser explorado tem que ter investimentos, e o resultado destes investimentos não aparece no dia seguinte. Até 2012, vamos ter que tirar quase que da própria pele para atender às necessidades do mercado argentino, do mercado brasileiro”, afirmou Lula.Para o brasileiro, até 2012 deverá ser produzido o equivalente a 73 milhões de metros cúbicos de gás. Hoje, essa produção está em torno de 45 milhões. A declaração de Lula foi dada à emissora Todo Notícia. No entendimento do presidente, o problema energético é estrutural e não conjuntural.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Hillary Clinton colocará condições para relações com Venezuela e Cuba

In Cuba, EUA, Venezuela on fevereiro 28, 2008 at 11:24 am

A pré-candidata a presidente dos EUA, Hillary Clinton, criticou a postura de seu colega de partido, senador Barack Obama, em relação à política externa norte-americana para Cuba, Venezuela e Irã. De acordo com ela, Obama não dispõe de experiência em política internacional. Numa tentativa de se diferenciar de seu concorrente, Hillary disse que não manterá relações com líderes do Irã, Coréia do Norte, Venezuela ou Cuba sem condições prévias.Para Hillary, os EUA não podem agendar encontros com líderes dessas nações porque estaria legitimando estes regimes e debilitando o prestígio norte-americano. Diferentemente de Hillary, Obama acredita que os EUA não devem temer o diálogo com seus inimigos. No entanto, entende que ele devem ocorrer com cuidados preparatórios.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

BOLÍVIA: Petrobras inicia exploração de novo poço de petróleo em Sucre

In Bolívia, Brasil on fevereiro 28, 2008 at 11:22 am

O jornal La Razón informou que a Petrobras iniciou a exploração de um novo poço de petróleo no sul da Bolívia, o que confirma a retomada dos investimentos da empresa nesse país. As informações foram divulgadas pela agência Afp.A estatal brasileira começou a perfurar o poço Ingre-X1 em um distrito do departamento de Sucre (sudeste), com um custo aproximado de US$ 40 milhões. Neste mesmo local, a espanhola Repsol descobriu, em 2006, um grande campo de gás, segundo a imprensa boliviana.

De acordo com um relatório técnico da empresa, o poço será perfurado até alcançar 4.810 metros. A Petrobras pretende investir este ano na Bolívia US$ 231 milhões em atividades de exploração.

As principais companhias, além da Petrobras, presentes na Bolívia são a Chaco (British Petroleum), a Repsol, a argentina Pluspetrol e a francesa Total.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

PARAGUAI: Lugo quer que Brasil pague mais por energia de Itaipu

In Brasil, Paraguai on fevereiro 27, 2008 at 11:09 am

O favorito na eleição presidencial paraguaia, o ex-bispo Fernando Lugo, pretende rever os termos da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Existe no Paraguai uma insatisfação com o destino da quase totalidade dos 45 mil gigawatts; hora por ano destinada para o Brasil. Esse volume representa metade da produção da Itaipu.Os outros dois candidatos fortes na disputa, Blanca Ovelar e Lino Oviedo, também anunciam a pretensão de renegociar pontos do Tratado de Itaipu. Apesar disso, apenas Lugo utiliza com maior intensidade em seus discursos a recuperação da soberania estratégica como proposta. O ex-bispo é o representante da Aliança Patriótica para a Mudança, legenda que une 7 partidos e 11 movimentos sociais.

Lugo também afirma em seus discursos que abrirá negociações para derrubar a exigência que obriga o Paraguai entregar ao Brasil a energia excedente. O ex-bispo ainda sustenta que pretende discutir o “preço de mercado justo”. A meta do candidato de oposição é elevar o retorno anual de US$ 200 milhões para US$ 1,8 bilhão.

Embora negue a inspiração em Evo Morales (presidente da Bolívia), lideranças políticas que apóiam Lugo ressaltam a decisão boliviana de mudar os contratos de exploração e produção de gás, aumentando o volume de recursos que ingressam na economia local.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CHILE: Crise energética afetará o crescimento do país

In Chile on fevereiro 27, 2008 at 11:08 am

“O Chile é o último e vulnerável elo de uma corrente sobrecarregada de fornecimento de gás na região em que políticas populistas seguraram o desenvolvimento das reservas de energia”. A avaliação foi feita pelo jornal britânico “Financial Times” ao destacar os problemas que o Chile vive em razão da crise entre Brasil, Argentina e Bolívia.De acordo com a subsecretária de finanças do Chile, Maria Olívia Recart, as restrições ao gás podem cortar entre 0,5% a 1,0% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. O “Financial Times” destaca que a economia chilena deverá crescer 4,6% em 2008 contra 5,2% do ano passado.

No entendimento do jornal britânico, o baixo custo de serviços na Argentina impediu investimentos para aumentar a produção doméstica de gás e o governo vem dependendo de complementos da Bolívia. No entanto, “a Bolívia fracassou em atrair investimentos para aumentar sua produção desde que nacionalizou o setor de hidrocarbonetos em 2006”.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

MERCOSUL: Congresso pode aprovar em 2 meses entrada da Venezuela ao bloco

In Brasil, Mercosul, Venezuela on fevereiro 27, 2008 at 11:06 am

O Congresso pode aprovar em dois meses o protocolo de adesão plena da Venezuela ao Mercosul, bloco integrado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, informou o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim, em entrevista publicada na sexta-feira (22) pelo jornal “Clarín” de Buenos Aires. As informações foram divulgadas pela agência Efe.Segundo Amorim, o Brasil trabalha ativamente para demonstrar que deseja uma parceria com a Venezuela e que não deve haver temores à entrada integral dos venezuelanos no Mercosul.

Assinado pelos presidentes em 4 de julho de 2006, o protocolo de adesão da Venezuela deve ser aprovado pelos Parlamentos dos quatro membros fundadores do bloco para entrar em vigência, o que já foi feito pelos Legislativos de Argentina e Uruguai.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)