Thiago de Aragao

Posts Tagged ‘Michelle Bachelet’

CHILE: José Miguel Insulza diz que está na corrida presidencial

In Chile on outubro 17, 2008 at 1:23 pm

Ao comentar se a possível candidatura do ex-presidente do Chile, Ricardo Lagos, lhe prejudicaria, o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), José Miguel Insulza, admitiu já estar na corrida presidencial.Segundo a agência Efe, além de Lagos e Insulza, outros nomes cogitados são a ex- chanceler Soledad Alvear e o ex-presidente Eduardo Frei, ambos democratas cristãos.

Ao ser questionado sobre a liderança do empresário Sebastián Piñeda, candidato da oposição, ele disse que a Concertación (coalizão que apóia o atual governo), ainda não tem candidato. Por isso, Piñeda está em vantagem.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Anúncios

CHILE: Crescimento será um dos mais baixos da região

In Chile on maio 15, 2008 at 12:26 pm

Em 2008, o Chile completará o quinto ano consecutivo entre as economias latino-americanas com o menor nível de expansão. Segundo o BCC (Banco Central do Chile), o país deve crescer entre 4% e 5% neste ano contra a média de 6,3% apresentanda entre 1990 e 2000.

Assim, a liderança do Chile no ranking do crescimento na região faz parte da década passada. De acordo com o informe elaborado pelo FMI (Fundo Monetário Internacional), os chilenos estão na oitava colocação entre as onze economias analisadas pelo organismo financeiro.

Especialistas acreditam que isso está relacionado a queda da produtividade, falta de inovação e escassez de incentivos ao investimento.

 

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CHILE: Bachelet acha que Colômbia deve explicações à América Latina

In América Latina, Chile, Colômbia, Conflito Colômbia-Venezuela-Equador, Equador, Venezuela on março 5, 2008 at 11:09 am

A Colômbia deve uma explicação ao Equador e a todos os países da América Latina por ter invadido a fronteira equatoriana na operação que matou o líder número dois das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Raúl Reyes. A afirmação foi feita ontem pela presidente do Chile, Michelle Bachelet, segundo a agência Afp. No entendimento da chilena, as fronteiras entre os países precisas ser respeitadas.Em entrevista concedida à rádio ADN de Santiago, Bachelet demonstrou bastante preocupação com a crise diplomática envolvendo o Equador, a Colômbia e a Venezuela.

Ela disse que entrará em contato com o secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), José Miguel Insulza, e com seus colegas do Brasil (Luiz Inácio Lula da Silva) e da Argentina (Cristina Kirchner).

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CHILE: Crise energética afetará o crescimento do país

In Chile on fevereiro 27, 2008 at 11:08 am

“O Chile é o último e vulnerável elo de uma corrente sobrecarregada de fornecimento de gás na região em que políticas populistas seguraram o desenvolvimento das reservas de energia”. A avaliação foi feita pelo jornal britânico “Financial Times” ao destacar os problemas que o Chile vive em razão da crise entre Brasil, Argentina e Bolívia.De acordo com a subsecretária de finanças do Chile, Maria Olívia Recart, as restrições ao gás podem cortar entre 0,5% a 1,0% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. O “Financial Times” destaca que a economia chilena deverá crescer 4,6% em 2008 contra 5,2% do ano passado.

No entendimento do jornal britânico, o baixo custo de serviços na Argentina impediu investimentos para aumentar a produção doméstica de gás e o governo vem dependendo de complementos da Bolívia. No entanto, “a Bolívia fracassou em atrair investimentos para aumentar sua produção desde que nacionalizou o setor de hidrocarbonetos em 2006”.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Chile: Presidente pede renuncia de prefeitos

In Chile on janeiro 8, 2008 at 5:45 pm

O ministro do Interior, Belisario Velasco, deixou o cargo nesta quinta-feira (3) e, no dia seguinte, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, pediu a renúncia de todos os prefeitos do país. A medida de Bachelet abre caminho para uma possível reforma ministerial – a quarta em menos de dois anos de gestão. As informações foram divulgadas pela agência BBC Brasil.O pedido de renúncia dos prefeitos por parte da líder chilena justifica-se pelo fato dela querer realizar mudanças com “mais força e vigor em todo Chile”. Ela também elogiou o papel de Velasco, ao dizer que ele foi um dos “símbolos” na luta pela recuperação da democracia. No entanto, insistiu que em 2008 começa a “segunda etapa” de seu governo. Bachelet é socialista e Velasco integrante da DC (Democracia Cristã).

O Partido Socialista e a DC são as duas principais forças políticas da chamada “Concertación”, frente de centro-esquerda que está no poder desde o retorno da democracia ao Chile, no fim dos anos 80.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CHILE: Bachelet marca encontros com Correa, Uribe e o primeiro ministro francês

In Chile on dezembro 7, 2007 at 3:14 pm

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, agendou cinco reuniões com os governantes da região, Europa e membros de organismos internacionais, na ocasião de sua visita a Buenos Aires. Ela participará neste domingo, na capital argentina, da solenidade de posse da presidente eleita Cristina Fernández de Kirchner. As informações foram divulgadas pelo jornal chileno “El Mercurio”.De acordo com o periódico, Bachelet realizará na segunda-feira (10) encontros bilaterais, em separado, com os presidentes da Colômbia, Álvaro Uribe; do Equador, Rafael Correa; com o primeiro ministro da França, Francois Fillon; e com o diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional), Dominique Strauss-Kahn.

Há também uma solicitação do governo chileno para uma reunião com a nova presidente argentina, que ainda aguarda resposta por parte da Casa Rosada. Além disso, não está descartado um encontro com o presidente Hugo Chávez, porém, até o presente momento, não existe um pedido formal por parte da Venezuela.

A agenda será ampla com relação à Colômbia e ao Equador, pois o Chile quer impulsionar uma aliança entre os países banhados pelo Pacífico a fim de abordar em conjunto os mercados da Ásia.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

CHILE: Subsecretário descarta encontro entre Bachelet e Chávez

In Chile, Venezuela on novembro 9, 2007 at 2:11 pm

Está descartada uma eventual reunião bilateral entre a presidente do Chile, Michelle Bachelet, e seu colega venezuelano, Hugo Chávez, durante a Cúpula Ibero-Americana. A informação foi dada pelo subsecretário de Relações Exteriores do Chile, Alberto Van Klaveren.No entanto, ele confirmou que a chilena tem encontro marcado com o presidente da Argentina, Néstor Kirchner, e a futura chefe de Estado argentino, Cristina Kirchner. Klaveren disse ainda que o Chile considera um “privilégio” receber pela segunda vez a Cúpula Ibero-Americana, o que também ocorreu em 1996.

Em declarações à imprensa local, o subsecretário afirmou que um dos objetivos da Cúpula será “intensificar os laços entre as nações ibero-americanas a partir de temas de inclusão social que serão o eixo do encontro”.

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)

Chile: A situação de Michelle Bachelet

In Chile on novembro 8, 2007 at 2:14 pm

A Presidente eleita da Argentina, Cristina Kirchner não deseja ter a mesma trajetória de sua colega Michelle Bachelet, no Chile. A popularidade de Bachelet segue diminuindo à medida que o governo aparenta perder o rumo em algumas alianças. Joaquín Lavín, opositor de Bachelet na última eleição presidencial, fará parte do governo em uma pasta ainda a ser definida. A atitude de Bachelet visava tranqüilizar e “calar” a oposição, que desde a crise do transporte público de Santiago (início do ano), vem ganhando força.

 

No entanto, o tiro saiu pela culatra. Trazer Lavín para o governo demoliu a imagem de força que Bachelet construiu enquanto Ministra da Defesa no governo de Ricardo Lagos. A percepção da sociedade foi que Bachelet está traindo os ideais de progresso social-democrata do Concertación e está caindo na armadilha dos conchavos políticos.

 

Ao contrário de outros países latino-americanos, a solidez da economia chilena não está sendo suficiente para amenizar o impacto das crises políticas sobre o governo. Enquanto muitos julgam que o trabalho de Andrés Velasco, Ministro da Economia é positivo, seu sucesso não é atrelado á Bachelet.

 

A possibilidade de uma crise energética a curto ou médio prazo pode trazer ainda mais instabilidade política para Bachelet. Nesse caso, respingaria na economia, já que o complexo industrial chileno é muito dependente do gás natural vindo da Bolívia via Argentina. As seguidas ameaças bolivianas ao governo argentino, para que este pare de revender gás ao Chile pode obter sucesso a qualquer momento. Nesse caso, o Chile teria que buscar uma alternativa rápida para evitar que a queda de produção industrial não case grandes estragos na longa estabilidade econômica vivida no país.

CHILE: Pesquisa mostra avaliação de Bachelet por áreas

In Chile on novembro 8, 2007 at 2:10 pm

Pesquisa elaborada pela consultoria Adimark avaliou o desempenho da gestão da presidente do Chile, Michelle Bachelet, em diferentes áreas. Os resultados foram negativos para os interesses dela. Apenas nas relações internacionais a aprovação supera a desaprovação.Os piores índices foram registrados na educação, transporte público e segurança. Segundo analistas, somente os problemas pertinentes à Transantiago não explicam a rejeição da população à presidente. Questões como a educação e a segurança também criaram um impacto negativo sobre a sua imagem.

Chama a atenção ainda o fato de mais de 50% da população desaprovar a política econômica do governo, que tem sido muito elogiada no mercado financeiro.

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Aprovação: 55,2%

Desaprovação: 24,1%

EDUCAÇÃO

Aprovação: 37,6%

Desaprovação: 49,8%

SAÚDE

Aprovação: 36,1%

Desaprovação: 56,1%

ECONOMIA

Aprovação: 31,7%

Desaprovação: 55,5%

CORRUPÇÃO

Aprovação: 30,4%

Desaprovação: 56,0%

EMPREGO

Aprovação: 28,8%

Desaprovação: 61,6%

TRANSANTIAGO

Aprovação: 9,6%

Desaprovação: 80,8%

DELINQÜÊNCIA

Aprovação: 8,3%

Desaprovação: 89,3%

(Equipe Arko América Latina – americalatina@arkoadvice.com.br)